Artigo – Um resultado prático da eficácia da Pedagogia Logosófica – Oportunidade de conhecer mais a si mesmo

Artigo – Um resultado prático da eficácia da Pedagogia Logosófica – Oportunidade de conhecer mais a si mesmo

Um resultado prático da eficácia da Pedagogia Logosófica – Oportunidade de conhecer mais a si mesmo

Ward Lauar

Era uma sexta-feira e eu estava na minha habitual atividade no Colégio Logosófico.

Nos primeiros minutos da manhã, a coordenadora me comunicou que precisava falar comigo e me pediu que fosse à sua sala, na hora do intervalo. Fiquei bastante ansiosa e pedi que ela me adiantasse o assunto, mas ela disse que não havia razão pra que eu me preocupasse.

Após as sofridas primeiras aulas, devido à ansiedade, fui até lá. Ela me presenteou com um livro de título Deficiências e Propensões do Ser Humano.

Logo na primeira página havia um recadinho “Querida Ward, espero que goste deste livro. Com ele, tenho aprendido muito sobre mim mesma.”

Agradeci-lhe e conversamos um pouco  sobre essa minha característica: a ansiedade. Com o livro nas mãos e com um titulo tão interessante, o convite à leitura tornou-se uma necessidade.

Logo na primeira página, o autor, González Pecotche, orienta: “Ninguém pode afirmar que domina conscientemente o campo de sua própria psicologia, se não enfrentou antes, com êxito, as falhas caracterológicas que o angustiam.”

Com a mente de uma profissional da área das ciências exatas, resolvi fazer uma tabela pontuando as deficiências e propensões mais acentuadas em mim. De posse dessa tabela, busquei identificar melhor tais características.

Alguns anos se passaram e, ao escrever este texto, lembrei-me da ocasião mencionada. Encontrei aquela  tabela e o livro em meus pertences e fiz uma releitura. Refleti sobre as minhas deficiências, analisando quais permaneceram em minha psicologia e quais foram atenuadas.

González Pecotche ressalta: “Toda deficiência é produto do desvio experimentado pelo homem na integração de suas qualidades e do mau uso de suas condições intelectivas, psíquicas e morais. O desconhecimento de seu próprio existir como entidade consciente e capaz o leva a cometer inúmeros erros, que depois afloram como deficiências impressas em sua psicologia.”

Mudei muito nesse período. Hoje sou mãe e possuo uma vida cercada de responsabilidades e compromissos. Diante do desafio de me conhecer, vou ressaltar deficiências que consegui atenuar e outras que ainda apresento.

A impulsividade é uma deficiência sobre a qual obtive grande melhora; acredito que as experiências pessoais e profissionais me fizeram uma pessoa com uma maior contenção. Também observei que não tenho a necedade como deficiência, uma vez que aceito facilmente a opinião de outros. Essas duas deficiências foram bem superadas ao longo dos anos e identificá-las por meio do livro foi fundamental para que essa superação ocorresse.

No entanto, identifiquei características que, apesar do empenho, ainda estão presentes em mim e que, ciente disso, busco vencer no meu cotidiano.

A verborragia é uma deficiência que ainda apresento e que  muito me dificulta a  ser breve e  falar somente o indispensável. Sou muito comunicativa, o que é uma característica desejável, porém, excedo-me em longas explicações e comentários que poderiam ser mais diretos.

Outra deficiência ainda marcante em mim é a ansiedade; pequenos problemas causam-me impaciência, impedindo-me resolvê-los de forma prática e eficiente.

Com esse livro estou enxergando quão importante é conhecermos a nós mesmos, buscando os meios para nos tornarmos cada vez mais humanos.

 

“O essencial é que quem se proponha levar a cabo essa tarefa saiba, sem a menor sombra de dúvida, que um deficiência pode ser substituída por uma eficiência, ou seja, anulando-se o déficit pode-se desfrutar a margem positiva que resulta do labor cumprido.” (Deficiências e propensões do ser humano, pág. 26)
DPSH

Share this Post: Facebook Twitter Pinterest Google Plus StumbleUpon Reddit RSS Email

Comments