Artigo – Exercitando o pensar por meio de perguntas

Artigo – Exercitando o pensar por meio de perguntas

Autora: Cecília de Carvalho Faria

Como tenho aplicado a Pedagogia Logosófica em meu trabalho como educadora no Colégio Logosófico?

Exercitando o pensar por meio de perguntas

Quando criança, assistia a um programa chamado Castelo Rá-Tim-Bum. Tirando a maior parte que estimulava exageradamente a imaginação, havia um quadro em que um dos personagens fazia muitas perguntas, sempre querendo saber o porquê das coisas até que seus amigos diziam: “Porque sim”! Nesse momento entrava outro personagem dizendo “porque sim não é resposta” e, então, expunha uma explicação. Eu adorava essa parte do programa, pois sempre fazia muitas perguntas e não me dava por satisfeita enquanto não entendia por completo aquilo que queria saber.

Com o tempo fui observando que a naturalidade para fazer perguntas foi se perdendo deixou de ser um hábito em mim. Reconheço os prejuízos que isso gerou em minha vida, pois estava deixando de estimular a minha faculdade de pensar.

Hoje, como educadora, tenho procurado resgatar o hábito de fazer perguntas, como forma de estimular as crianças a pensar, como forma de encontrar as respostas. Vou dar um exemplo que vivi recentemente com esse exercício.

Um aluno de quatro anos recebeu um tapa de outro.  Após tranquilizar os dois, iniciei um diálogo com o que apanhou. Perguntei por que o colega lhe havia batido. A resposta foi: “Porque eu o chamei de…” (alguma coisa ruim no vocabulário das crianças). Perguntei-lhe: Quem está sentindo a dor agora? Prontamente ele apontou para si. Aproveitei para apresentar-lhe a causa do problema, que acabávamos de encontrar através das perguntas levantadas. Fiz com a criança uma reflexão no sentido de mostrar-lhe que quem havia gerado a causa da sua dor era ele mesmo. O outro colega também havia tido sua parcela de erro, pois poderia ter resolvido aquela situação de outra maneira, conversando ou pedindo ajuda para a professora. Penso que o interessante desse movimento é a criança reconhecer que ela mesma é a forjadora do futuro que vai viver e que tudo tem uma causa, que pode ser encontrada através de perguntas.

Compreendo que quando a criança é estimulada a pensar e, com o auxílio de seus pais e educadores, encontra as respostas, isso se fixa muito mais em sua vida. Por outro lado, ao dar uma resposta pronta para a criança, sua faculdade de pensar não é estimulada, assim como, em nosso corpo, um músculo se atrofia quando não é exercitado. O mesmo pode acontecer com as faculdades da mente.

A oportunidade de capacitar-me como educadora no Colégio Logosófico tem sido uma experiência ímpar. O aspecto que destaco de mais importante na Pedagogia Logosófica, a meu ver, é experimentar em mim aquilo que quero ensinar aos meus alunos. Quanto vigor, quanta energia, afinal, passam a ter as orientações que transmito às crianças, após terem sido experimentadas em minha própria vida!

Share this Post: Facebook Twitter Pinterest Google Plus StumbleUpon Reddit RSS Email

Comments